dancarina_emagrecer

Como emagrecer 50kg e sair dançando...

Emagrecer é um desafio para muita gente. Perder 50kg é uma vitória e tanto! E a escocesa Tiffany Broadfoot conseguiu fazer isso. Tiffany dançava ba...

giulia-gam

Giulia Gam critica ditadura da bele...

O Caras online publicou essa semana uma matéria sobre a crítica que a atriz Giulia Gam fez à ditadura da beleza. Achei muito pertinente e por isso est...

Ouro-

Troque quilos por gramas de ouro (i...

Incentivos para emagrecer. Você já deve ter pensado em experimentar alguns. Pois o governo de Dubai acaba de criar um incentivo interessante. Usando ...

autoestima_emagrecer

Melhora na autoestima é o principal...

Se eu pedisse para você listar seus motivos para emagrecimento, o que haveria em sua lista? Uma pesquisa realizada com mil homens e mulheres, de cinc...

Como emagrecer 50kg e sair dançando de alegria?

dancarina_emagrecerEmagrecer é um desafio para muita gente. Perder 50kg é uma vitória e tanto! E a escocesa Tiffany Broadfoot conseguiu fazer isso.

Tiffany dançava balé, mas devido uma alimentação ruim começou a ganhar bastante peso. Ela se sentia mal por não poder usar a roupa de balé à vontade e por ser maior que todas as demais dançarinas. 127kg era realmente bastante coisa para quem precisava de leveza física e mental para dançar.

Mas Tiffany tinha um objetivo, sabia exatamente onde queria chegar, e tinha apoio para isso.

Ter objetivos claros, tendo em mente os ganhos que você pode ter com todo o esforço que perder peso requer é essencial para ter sucesso nessa empreitada.

Ter um sistema de apoio também é muito bom. Emagrecer sozinho é mais difícil. Mas quando temos pessoas que nos motivam, torcem por nós, e respeitam nossa luta, isso fica mais fácil!

Para ler mais sobre a história de Tiffany, clique aqui.

Giulia Gam critica ditadura da beleza

giulia-gamO Caras online publicou essa semana uma matéria sobre a crítica que a atriz Giulia Gam fez à ditadura da beleza. Achei muito pertinente e por isso estou compartilhando com vocês.

“Acho que existe sim uma ditadura. Vejo atrizes cada vez mais jovens muito magras. É uma preocupação muito grande em estar magra e acho que o mercado exige isso. Afinal, a televisão, por uma questão técnica, deforma”, disse a atriz ao site do Domingão do Faustão. “Naquele momento, estava pensando mais na minha vida, já era um projeto meu de vida poder dar um tempo para mim, como ir à dermatologista e ter outros cuidados com o meu corpo, que não tem mais 20 ou 30 anos. Eu queria me sentir melhor comigo mesma. Fui na endocrinologista por uma questão de saúde e não fiz nenhum procedimento que fosse violento para emagrecer”, conta.

O cuidado com o corpo é algo bom, mas pode ser algo doentio também. Tudo depende de nossos motivos e da forma como realizamos esse cuidado. Ações extremas, invasivas e violentas ao corpo – desde dietas extremamente restritivas a intervenções cirúrgicas desnecessárias – são uma agressão ao corpo e denunciam que algo não vai bem o suficiente na mente. Emagrecer é bom, sim, mas da forma correta e pelos motivos corretos.

Se você deseja emagrecer e permanecer magra, precisa se libertar da ditadura da beleza! Ela lhe impõe modelos inatingíveis, e destrói sua autoconfiança. Dentro dessa ditadura não há espaço para saúde e qualidade de vida!

Troque quilos por gramas de ouro (incentivos para emagrecer)

Ouro-Incentivos para emagrecer. Você já deve ter pensado em experimentar alguns. Pois o governo de Dubai acaba de criar um incentivo interessante.

Usando o lema “teu peso é ouro”, a prefeitura de Dubai criou uma premiação para pessoas que conseguirem perder peso, em meio a uma campanha contra a obesidade que iniciou na última sexta-feira.

Os participantes da competição ganharão um grama de ouro (avaliado em US$ 42) por cada quilo perdido durante os 30 dias da campanha. De acordo com o regulamento da campanha, é necessário perder ao menos dois quilos para ser premiado. Quanto mais peso for perdido, mais ouro se recebe. Essa competição é uma das iniciativas lançadas para desenvolver hábitos saudáveis entre os moradores da cidade (que também possui índices elevados de sobrepeso).

Talvez você não consiga desenvolver um sistema de incentivos em que os quilos perdidos sejam trocados por ouro, mas pode encontrar formas de recompensar a si mesmo pelo sucesso alcançado em sua perda de peso. Recompensar-se assim como reconhecer o sucesso obtido em seus esforços é uma das formas de manter-se motivado para continuar modificando hábitos e perdendo peso.

Melhora na autoestima é o principal motivo para emagrecimento de muitos obesos

autoestima_emagrecerSe eu pedisse para você listar seus motivos para emagrecimento, o que haveria em sua lista?

Uma pesquisa realizada com mil homens e mulheres, de cinco cidades brasileiras, verificou que a principal razão para o emagrecimento dessas pessoas era a melhora da autoestima (veja mais aqui). É bem verdade que questões de saúde também são grandes motivadores para a perda de peso, mas esse não foi o principal motivo apontado pelos participantes.

Autoestima e emagrecimento possuem uma relação íntima. Ao ganhar peso além do ideal, a pessoa tem sua forma física alterada, e a forma como se enxerga sofre prejuízos também. Em consequência, a autoestima sofre prejuízos também, e muitos desses danos são reparados quando inicia-se o processo de emagrecimento, e, principalmente, iniciam-se os resultados.

Dependendo do prejuízo que se tenha na autoestima, fazer as mudanças necessárias para o emagrecimento se torna algo muito difícil. Isso porque o sentimento de incapacidade e ideias negativas quanto ao sucesso que se pode obter dificultam em muito a ação no sentido de conquistar os objetivos. E nesse caso, se torna necessário o acompanhamento de um profissional psicólogo que trabalhe questões relacionadas ao aumento da autoestima.

Muitas são as razões para o emagrecimento. Se temos esse objetivo, é muito importante descobrirmos quais são nossas reais razões, e a partir delas lançarmos mãos das estratégias mais adequadas.

Parceria para emagrecer: menos 120kg para Anne e Diane

Anne e Diane acima do peso (Foto: Reprodução/CNN)

Anne e Diane após perda de peso (Foto: Reprodução/CNN)

Uma das estratégias eficazes para emagrecer é fazer isso em parceria com alguém. Pode ser alguém que simplesmente lhe apoie e motive (como o cônjuge ou uma grande amiga) ou alguém que tenha o mesmo objetivo que você e que está disposto a, junto com você, encarar o desafio de mudar hábitos para emagrecer. (Leia mais sobre os benefícios aqui)

Anne e Diane optaram por essa segunda alternativa. Elas decidiram iniciar juntas um processo de mudança. Anne, aos 42 anos e 152kg, e Diane, aos 38 anos e 119kg. As mulheres que antes não conseguiam concluir uma dieta, agora se viam motivadas a eliminar bastante peso. No primeiro ano, juntas, elas eliminaram 90kg. Hoje o saldo já passa de “120kg off”.

“As primeiras semanas foram uma verdadeira tortura para tirar o foco da comida. Foi como resistir às drogas. Eu tremia e sentia dores de cabeça”, disse Anne em entrevista para a emissora “CNN”. “Quando fui me exercitar na academia pela primeira vez, só consegui fazer 10 minutos de treino. Aos poucos, acrescentei mais tempo e fui me esforçando para fazer algo mais difícil”, acrescentou Anne.

Anne e Diane antes de emagrecer (Foto: Reprodução/CNN)

Anne e Diane antes de emagrecer (Foto: Reprodução/CNN)

“Foi complicado chegar até aqui, principalmente com os ‘sabotadores de dieta’: amigos com sobrepeso que me ofereciam uma ‘mordidinha’ no bolo deles e faziam me sentir mal por passar as manhãs na academia ao invés de ir acompanhá-los”.

Fonte: Marie Claire

Dentro do Programa Pense Magro, motivamos as pessoas a desenvolverem parcerias assim, com o que chamamos de “técnico de dieta”. Em breve compartilharemos aqui uma interessante história de uma de nossas participantes do Programa que teve um sucesso além do esperado com sua parceria para emagrecer.

O que aprendemos com Anne e Diane:

  • Nunca é tarde para iniciar um processo de mudança;
  • A parceria é uma estratégia eficaz para se manter motivado diante de desafios como o de emagrecer;
  • O exercício do autocontrole é necessário, se queremos alcançar bons resultados;
  • No processo de emagrecimento é preciso aprender a dizer “não”;
  • É essencial saber o que se quer. E no caso delas, elas não queriam mais permanecer acima do peso!

Obeso emagrece 107kg em um ano

stevenO que você precisa para emagrecer?

Aos 39 anos, Steven Goodwin recebeu uma notícia que mudaria sua vida. Ele foi encontrado em sua casa, desmaiado. O diagnóstico foi de pneumonia e diabetes em nível elevado. Então os médicos lhe disseram que se não mudasse o estilo de vida, ele morreria.

Depressivo, Steven tinha uma alimentação emocional. Comia para saciar algo que nem ele mesmo sabia o que era. Sedentário, com uma alimentação nada saudável, recheada de fast foods, refrigerantes e comidas prontas. Utilizava bengala para andar, e fazer tarefas simples, como amarrar o cadarço não era algo possível.

Trabalhando com mudança de hábitos, comportamentos e pensamentos, sempre me deparo com a fala, de alguns clientes, de que “não dá”, “não é possível”, “não consigo fazer isso”. Em certa medida, eles desejam uma vida diferente, mas não vêem possibilidades de dar os passos necessários. Isso porque a mudança de estilo de vida exige passos, às vezes simples ou complicados, dependendo do ponto de vista. Acontece que quando nos vemos numa situação como a de Steven, em que só há duas alternativas – mudança de hábitos ou morte – as dificuldades deixam de ser tão difíceis, e as impossibilidades tão impossíveis.

Eu acredito que não precisamos chegar a esse extremo! Acredito que como seres racionais, podemos pensar com antecipação sobre as consequências de nossos hábitos e trabalhar com prevenção!! Emagrecer é possível, mudar hábitos é possível, e tudo começa com bons motivos.

Quais são os seus bons motivos?

Leia mais sobre a mudança de Steven aqui.

Noiva leva fora e emagrece 44kg em menos de um ano

pamela Doyle  5

Levar um fora não emagrece. Mas a sua reação ao fora sim!

Se tem algo que nenhuma noiva deseja é levar um fora do noivo semanas antes do casamento. Isso aconteceu com Pamela Doyle, uma moça escocesa de 31 anos.

Devido a seus problemas emocionais e dificuldades pessoais, Pamela sofreu com o término do noivado. Contudo esse ocorrido foi o gatilho para uma grande mudança. A moça insegura e deprimida entendeu que precisava reagir. Optou por modificar a alimentação, fazer atividade física e buscar auxílio psicológico. Em menos de um ano, perdeu 44kg e ganhou autoconfiança.

A história de Pamela não é tão diferente da de muitos que em função de seus problemas emocionais acabam engordando e desenvolvendo novos problemas emocionais. Além disso, em função desses problemas, acabam tendo dificuldades em outras áreas da vida, como a afetiva. No entanto, como eu costumo dizer aos meus clientes, crises são boas oportunidades para se desenvolver novas habilidades. Inclusive as habilidades necessárias para emagrecer.

Pamela não é mais especial do que você e eu. Se ela obteve sucesso, você também pode ter.

Faça o que é necessário, busque ajuda profissional, e se supere!

Dica: arrume sua mesa corretamente para emagrecer

prato-vermelho-talheresQuando desejamos algo, devemos investir em conhecer (e aplicar) estratégias que nos auxiliem a alcançar nossos objetivos. Por isso, para emagrecer, você precisa conhecer e aplicar estratégias no seu dia a dia que lhe permitam isso.

Existem dois fatores que atuam poderosamente sobre o comportamento humano – a nossa forma de pensar e os estímulos ambientais. Por isso, quando trabalhamos com emagrecimento, precisamos trabalhar esses dois fatores, para que o comportamento alimentar seja modificado de forma eficaz.

A forma de pensar é bastante trabalhada dentro do Programa Pense Magro, e já publicamos alguns textos aqui no blog com o intuito de provocar reflexões sobre os pensamentos e percepções que temos. Mas, dentro do programa, também trabalhamos o manejo dos estímulos que existem no ambiente.

Hoje, quero deixar uma dica para você que deseja emagrecer: arrume sua mesa de forma que você facilite o emagrecimento.

Como fazer isso?

Alguns estudos demonstram que utilizando talheres e louças menores nós comemos menos. Por isso, dê preferência em sua casa à utilização de pratos menores assim como garfos e facas menores. Claro que você não precisa almoçar com talheres e louças de sobremesa, contudo, é bom evitar os lindos pratos imensos que o mercado capitalista nos convence a comprar. Eles são uma bela armadilha para quem deseja emagrecer.

Outra coisa importante é escolher bem as cores dos pratos e da toalha de mesa. Um estudo publicado recentemente no Journal of Consumer Research verificou que o contraste entre a cor do prato e do alimento é um bom estímulo para que as pessoas consumam menos comida. Se o prato é branco e a comida colorida, a probabilidade de se servir com menos comida é maior do que se o prato for branco, e você se servir com macarrão ao molho branco, por exemplo. Neste último caso, em que não há contraste, é possível servir 20% a mais de comida. A mesma influência ocorre quando há contraste entre a cor da toalha de mesa e a cor do prato.

A estimulação visual influencia o comportamento alimentar, e você pode nem perceber isso. Contudo, a indústria alimentícia está de olho em pesquisas como essa para estimular você a consumir mais alimento. Não é por acaso que os restaurantes utilizam pratos tão grandes, assim como não é por acaso as cores, o formato e o tamanho que se escolhe para embalagens produtos alimentícios. Existe uma ciência por trás do que lhe é servido, e você pode fazer bom uso dessa ciência.

Você pode ler texto sobre mais sobre estudos nessa área aqui: The Telegraph.

Hábitos alimentares dos pais influenciam os filhos e tem relação com prevenção e causa da obesidade infantil

mae-oferece-legumes-filhaVocê sabia que uma das maiores causas da Obesidade Infantil é a má influencia dos pais em relação aos hábitos alimentares?

A participação dos pais no crescimento e educação dos filhos é fundamental, inclusive em relação aos hábitos alimentares. Sabe-se que as crianças tem seus pais como maior exemplo e admiração, desta forma, eles gostam de copia-los em tudo, inclusive na escolha dos alimentos que vão ser consumidos. Portanto, cabe aos pais, influenciar positivamente na escolha dos alimentos de seus filhos logo depois do fim da amamentação.

Desta forma, é essencial que os pais tenham hábitos saudáveis, para que os filhos sejam contagiados com o equilíbrio, e não com os excessos, prevenindo assim, a obesidade.

No entanto, as crianças costumam ser resistentes em relação a alguns alimentos, principalmente frutas e verduras. Nesses casos, os responsáveis devem ter paciência em oferecer o alimentos repedidas vezes, em diferentes formas de preparo para que a criança se acostume e aceite. Ter uma refeição em família, com todos consumindo o mesmo tipo de alimento, também serve como incentivo.

Dicas práticas para os pais:

– Evitar consumo de açúcar, fast-food, refrigerantes, gorduras e frituras;

– Familiarize as crianças com os alimentos, mostre à elas as frutas, as verduras, os legumes e ensine-os a diferenciá-los entre si;

– Faça pequenas receitas na presença deles. As crianças adoram participar e costumam aceitar os pratos em que o preparo contou com sua colaboração. Fazer salada de frutas junto aos seus filhos é uma ótima forma de incentivar o consumo de frutas, por exemplo;

– Adapte as receitas de uma forma mais saudável: em uma receita de bolo, por exemplo, troque o açúcar refinado pelo mascavo e 1 xícara de farinha branca por aveia refinada;

– Sopinhas de legumes e decorações divertidas nos pratos são uma ótima forma das crianças consumirem alimentos rejeitados.

Por Fernanda Tonelli, Nutricionista, parceira do Programa Pense Magro.

Obesidade

Evolução-Obesidade1. O que é?
Considerada um problema de saúde pública, a obesidade é uma doença multifatorial, causada pelo excesso de gordura corporal.

2. Quais são as causas?
A obesidade pode ser causada por desequilíbrio entre ingestão e gasto de calorias, sedentarismo, maus hábitos alimentares herdados dos pais, falta de programação das refeições, estilo de vida e genética.

3. Quais os fatores de risco para a saúde?
O obeso tem mais propensão a ter doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão arterial, disfunções hormonais, depressão e outros problemas psicológicos, problemas nas articulações, dificuldades respiratórias.

4. Quais as formas de tratamento?
O tratamento mais indicado para a obesidade envolve mudanças do estilo de vida: reeducação alimentar associada à pratica de atividade física diária e mudança comportamental (acompanhamento de equipe multidisciplinar composta por Médico, Nutricionista, Educador físico e Psicólogo).

Por Fernanda Tonelli, Nutricionista, parceira do Programa Pense Magro.