Category: Dia a dia

Noiva leva fora e emagrece 44kg em menos de um ano

pamela Doyle  5

Levar um fora não emagrece. Mas a sua reação ao fora sim!

Se tem algo que nenhuma noiva deseja é levar um fora do noivo semanas antes do casamento. Isso aconteceu com Pamela Doyle, uma moça escocesa de 31 anos.

Devido a seus problemas emocionais e dificuldades pessoais, Pamela sofreu com o término do noivado. Contudo esse ocorrido foi o gatilho para uma grande mudança. A moça insegura e deprimida entendeu que precisava reagir. Optou por modificar a alimentação, fazer atividade física e buscar auxílio psicológico. Em menos de um ano, perdeu 44kg e ganhou autoconfiança.

A história de Pamela não é tão diferente da de muitos que em função de seus problemas emocionais acabam engordando e desenvolvendo novos problemas emocionais. Além disso, em função desses problemas, acabam tendo dificuldades em outras áreas da vida, como a afetiva. No entanto, como eu costumo dizer aos meus clientes, crises são boas oportunidades para se desenvolver novas habilidades. Inclusive as habilidades necessárias para emagrecer.

Pamela não é mais especial do que você e eu. Se ela obteve sucesso, você também pode ter.

Faça o que é necessário, busque ajuda profissional, e se supere!

Antes de emagrecer, cuide de sua saúde mental

Sarah Houston

Foto: The Times

Emagrecer é o sonho de muita gente, mas esse sonho não pode ser alcançado a todo custo.  É preciso esforço, força de vontade, organização, abstinência… mas tudo feito da forma correta.

Uma jovem britânica, de 23 anos, morreu por tomar agrotóxico vendido como pílula para emagrecer. Ao tentar explicar a atitude da filha, a mãe de Sarah contou que ela tinha um problema de autoestima, se achava acima do peso e estava se recuperando, também, de uma bulimia. (para ler mais, clique aqui)

Problema com a autoestima, insatisfação com a autoimagem, isso é realmente comum entre pessoas que desejam emagrecer.  Muita gente nutri a ideia de que esses problemas emocionais só podem ser resolvidos emagrecendo. É verdade que perder peso ajudará em alguns aspectos sim, mas, é possível perder peso e continuar infeliz consigo e com sua imagem.  Além disso, pessoas com uma autoestima sadia, e uma autoimagem realista, costumam cuidar melhor de si mesmas do que aquelas que se vêem de forma ruim. Não estou falando de se conformar. Não é isso. Para haver mudança é preciso estar insatisfeito, mas é preciso se amar, para que a mudança ocorra de forma satisfatória, do contrário, métodos altamente prejudiciais poderão ser utilizados.

Para haver a transformação no corpo é preciso haver uma transformação na mente. Do contrário, a mudança ocorrerá apenas em parte, e a longo prazo o problema continuará gerando prejuízos.

Seja através de dieta, seja por reeducação alimentar ou intervenção cirúrgica, o ideal é que o emagrecimento seja acompanhado de uma atenção especial à saúde mental.

“nenhuma dieta funciona”, diz Nicole Scherzinger

Fonte: Google+

Fonte: Google+

Hoje, o site Terra publicou uma matéria sobre a cantora Nicole Scherzinger e sua declaração sobre fazer dieta. Nicole já teve problemas com a bulimia, mas atualmente se alimenta bem e pratica exercícis físico.

“A ex-Pussycat Doll diz que seu café da manhã preferido são ovos beneditinos e não evita carboidratos. “Já fiz todo tipo de dieta e nenhuma funciona. Não é saudável”, contou à revista britânica OK!. “Seu corpo pede por carboidratos. Coma no café da manhã e no almoço, mas não no jantar. Seja consciente.”

Desde que tornou público seu problema com a bulimia, ela tem ajudado garotas que sofrem do mesmo transtorno. “Não faça refeições muito tarde. Se tiver 5 ou 6 horas sem comer antes de dormir, e dormir por mais 8 horas, seu metabolismo vai zerar”, aconselha.

Além de se alimentar melhor, a cantora vai à academia e faz aula de spinning.” Fonte: Terra

É bem verdade que algumas dietas funcionam, para algumas pessoas. Mas, também é verdade que muita gente que já fez dieta não conseguiu manter o peso desejado, ou até mesmo, teve problemas em se manter na própria dieta.

Alimentação balanceada, a prática de exercício físico, e um estilo de vida saudável são essenciais para quem deseja emagrecer e ter saúde. Por isso, aconselhamos a reeducação alimentar monitorada por um profissional nutricionista, assim como atividade física adequada às condições físicas de cada um, e o desenvolvimento de habilidades mentais e comportamentais para lidar bem com o stress, a ansiedade e os problemas do dia a dia sem deixar que isso afete seu apetite e seu corpo.

Casal corta fast-food do cardápio e emagrece mais de 100 Kg juntos

emma-smith-dylan-smithHambúrguer, batata-frita, refrigerantes… essas são algumas das tentações dos fast-foods. Estas lanchonetes, apesar de serem práticas e rápidas, não costumam ser saudáveis, principalmente para quem precisa perder peso. Emma e Dylan certamente concordam com isso!

Depois de alguns problemas numa viagem, em função do sobrepeso, o casal resolveu adotar hábitos alimentares mais saudáveis e isso incluiu abandonar os fast-foods. Eles faziam praticamente todas as refeições em lanchonetes desse tipo, e além da obesidade já sofriam de anemia.

Com as mudanças alimentares, Emma que pesava 139Kg chegou a 69kg, e Dylan que pesava 107Kg chegou a 63Kg.

Você pode ler mais sobre eles aqui.

Toda mudança requer esforço e tem um custo. Sem dúvida o custo foi alto para esse casal, e o esforço teve que ser grande. Fazendo todas as refeições em lanchonetes, eles precisaram modificar sua rotina e locais de alimentação, além do cardápio, para que pudessem emagrecer. Grandes conquistas são antecedidas por grandes atitudes.

Além disso, não é apenas a estética que move decisões de emagrecimento. No caso do casal, o incômodo com o peso veio devido as impossibilidades de aproveitar como desejavam seus momentos de lazer. Que aspectos de sua vida são afetados pelo seu sobrepeso? Que coisas você poderia aproveitar mais em seu dia a dia caso perdesse os quilos extras?

 

 

Dieta para emagrecer e as atitudes radicais

Dieta-radicalAlguma vez você já tentou fazer dieta para emagrecer tomando alguma atitude radical?

Ser radical nem sempre é um problema, até mesmo quando se fala em dieta para emagrecer. Em alguns momentos precisamos ser realmente radicais. Por exemplo, quando tomamos a decisão de fazer uma reeducação alimentar, a menos que sejamos radicais e digamos a nós mesmos “a partir de hoje eu inicio minha reeducação alimentar”, ficaremos adiando esse dia. Tem gente, por exemplo, que possui hábitos alimentares danosos, como pular refeições ou comer a todo momento. Se estas pessoas não forem radicais em estabelecer que as refeições devem ser feitas adequadamente, elas ficarão se auto sabotando e consequentemente manterão os mesmo hábitos.

Talvez, aqui, radical esteja no sentido de determinado.

Contudo, existe uma espécie de radicalismo que é inadequada. Nosso corpo requer tempo para se adaptar a novos hábitos como os alimentares. E algumas pessoas costumam não respeitar esse tempo. Elas comem o tempo inteiro e só alimentos muito calóricos. De repente, num belo dia, resolvem não comer mais nada. Passam um ou dois dias sem comer para emagrecer. Esse tipo de radicalismo é nocivo. Isso porque ele vai contra os hábitos saudáveis e o respeito pelo próprio organismo.

Infelizmente parece que tendemos mais a esse segundo tipo de radicalismo. Todos os dias pessoas decidem fazer uma mudança radical, mas ao invés de mudar radicalmente de um mau hábito para um hábito bom, mudam radicalmente de um mau hábito para outro hábito ruim. O famoso trocar 6 por meia dúzia.

Aparentemente elas podem ter a sensação de emagrecer a curto prazo, mas a longo prazo esse tipo de atitude é insustentável e a pessoa volta a engordar, ou até mesmo pode desenvolver um transtorno alimentar.

Um estudo realizado na USP, com a participação de 1.167 adolescentes, e comentado pelo Dr Antonio Sproesser no site do R7, verificou que:

  • 12,2% dos participantes apresentam comportamentos de risco para transtornos alimentares
  • 31,9% tinham algum tipo de prática não saudável para controle do peso.
  • 72,5% dos adolescentes que apresentaram comportamento de risco para transtornos alimentares são mulheres.
  • Os comportamentos de risco são caracterizados por compulsão alimentar (10,3%), dieta restritiva (8,7%), uso de diuréticos (1,4%), uso de laxantes (0,3%) e vômito autoinduzido com o objetivo de emagrecer (0,3%).
  • A leitura de revistas sobre dieta para emagrecer aumentou em 2,87 vezes a chance de jovens apresentarem práticas não saudáveis para controle do peso.

O emagrecimento não deve ter como único objetivo a estética. A saúde precisa ser uma prioridade, e o emagrecimento saudável precisa iniciar na mente! Pense magro.

orientacao_psicologica_online

Bianca Bin conta com ajuda do marido para emagrecer 6kg

bianca binCorreria, agitação do dia a dia, agenda apertada… essa parece ser uma ótima receita para engordar (para algumas pessoas). Foi o que aconteceu com Bianca Bin. Em meio à correria das gravações de Cordel Encantado, a atriz acabou descuidando em engordando 6kg.

Felizmente, ela contou com algo muito importante para quem deseja emagrecer – suporte social.

O suporte social é aquele apoio ou auxílio que recebemos de outras pessoas para enfrentarmos nossos desafios. Assim como as cobranças para emagrecer costumam vir do meio social em que vivemos, o auxílio para atingir metas de emagrecimento também pode ser encontrado entre as pessoas com as quais nos relacionamos.

Como já escrevemos aqui há algum tempo atrás, é importante ter uma parceria para emagrecer. No caso da atriz, ela encontrou suporte em seu marido, que a ajudou na modificação da alimentação. Você pode encontrar essa parceria em uma amiga, um irmão, o cônjuge, algum parente, um grupo de apoio, um terapeuta, ou outra pessoa de seu convívio.

Lembro-me de que quando decidi modificar minha alimentação, tomei essa decisão junto com meu esposo (que na época era meu namorado) e, desde então, temos sido o apoio um do outro. Quando um está com preguiça de ir à academia, o outro  serve de motivação. Quando vamos às compras, não somos tentados a comprar alimentos que fogem ao estilo de vida que adotamos há 5 anos atrás, pois ambos concordamos em levar adiante a decisão que tomamos ao iniciarmos as modificações em nossa dieta. Vivemos uma parceria que deu muito certo, e por isso sei por teoria e prática que essa é uma estratégia muito eficaz!

Talvez, em algum momento de suas tentativas de mudar, a falta de apoio de algumas pessoas foi para você uma desculpa para desistir das mudanças. Eu entendo que realmente fica mais difícil quando as pessoas com as quais convivemos não nos ajudam. Contudo, eu desafio você a descobrir alguém que possa ser de fato uma boa parceria, e a focar no sucesso que você pode obter se tirar o foco das pessoas que lhe dificultaram as mudanças e passar a focar naquelas que podem lhe ajudar!

Pensamento magro x crianças obesas

obesidade infantilBoa parte dos casos de obesidade iniciam na infância, e isso se dá por diversos motivos. O fato é que tanto o “pensamento magro” como o “pensamento gordo” são desenvolvidos nessa fase de intenso aprendizado.

Ontem, no site MdeMulher, foi publicada uma matéria sobre o que incluir na lancheira das crianças. As 7 dicas compartilhadas lá foram:

• Os lanches precisam ser compostos de alimentos nutritivos, como cereais integrais, frutas e sucos. Evite alimentos refinados e ricos em gordura trans (salgadinhos de pacote, refrigerantes e bolachas recheadas).

• Inclua sempre uma fruta na lancheira. Prefira as da época, que são mais saborosas, nutritivas e baratas.

• Cookies integrais são ótimas opções para substituir as bolachas recheadas.

• Prefira os sanduíches feitos com pães integrais e pasta de soja ou um queijo branco. Geleias sem adição do açúcar também podem ser oferecidas.

• Se seu filho gosta muito de salgadinhos, compre os assados, em pacotinhos. Observe o rótulo. Evite os que têm gordura trans, glutamato monossódico e corantes.

• Pode um bolinho? Sim! Escolha os integrais e sem cobertura.

• Ofereça sucos naturais colocados em garrafinhas térmicas, água de coco ou água. Esse tipo de recipiente protege o líquido da luz e da temperatura e impede que o suco fique azedo ou perca seus nutrientes. Os refrigerantes devem ser evitados.

Eu aproveito aqui para incluir algo mais. Se queremos ter filhos saudáveis e felizes, precisamos ensinar bons hábitos a eles. A obesidade na infância (e em qualquer idade) não implica apenas em um número grande na balança. Além dos problemas de saúde que ocorrem em função dela, tem os problemas de autoestima, autoimagem, relacionamentos interpessoais, desenvolvimento da autoconfiança, e daí muitos outros podem ser desenvolvidos.

Por isso, separei três dicas para você que cuida de crianças:

  1. Não supra as necessidades emocionais da criança com comida. Tristeza, saudade, ansiedade, e outros sentimentos não precisam ser aliviados com doces. Sua presença e atenção serão mais eficazes e “menos calóricas”;
  2. Estimule a prática de atividade física. A atividade física, para uma criança, pode ser algo muito mais simples do que é para um adulto. Pular corda, andar de bicicleta ou patins, jogar bola… isso tudo mantem o corpo em movimento, faz bem a saúde, e é divertido.
  3. Dê exemplo. Se você deseja ensinar algo de modo eficaz, preocupe em fazer o que diz. Não cobre da criança que ela se comporte de forma adequada quando você está agindo de modo inadequado. Você estará, no mínimo, ensinando a ela que você é incoerente. Se você deseja que seu filho desenvolva bons hábitos alimentares, desenvolva você primeiro!

Reeducação alimentar orientada por um Nutricionista

AlimentaçãoReeducação alimentar

O que a difere das dietas é que, na reeducação alimentar ocorrem mudanças graduais dos alimentos consumidos. O papel do Nutricionista nesse tipo de tratamento é ajudar o indivíduo a se reeducar, a se reprogramar de tal forma que não seja drástico para o organismo.

Um pouco de tudo, com moderação

Um dos lemas que mais gosto de usar, em se tratando desse assunto é: “Com moderação nada é proibido”. Lembre-se de que nosso organismo foi programado para receber de tudo um pouco, então a alimentação precisa ser completa para satisfazê-lo.

Ao procurar um Nutricionista para orientá-lo nesta modificação de hábitos alimentares, o profissional montará um plano alimentar balanceado de acordo com suas necessidades particulares e fará as mudanças de forma gradual. A cada novo encontro, uma nova pequena mudança para que, assim, seu tratamento ganhe força e você tenha resultados positivos.

Fernanda Tonelli

 

Por Fernanda Tonelli, Nutricionista Clínica e Escolar, Pós-graduada em Obesidade e Emagrecimento.

Fernanda atende em Joinville desde 2012 e é parceira do Programa Pense Magro.

Por que procurar um nutricionista?

nutricionistaDecidiu emagrecer? Já pensou em procurar um Nutricionista?

Um dos papéis do Nutricionista é mostrar para a população que a alimentação é fundamental para a promoção, manutenção e recuperação da saúde. E quem deseja emagrecer não deve perder de vista a manutenção da saúde.

Como trabalha o Nutricionista Clínico?

O Nutricionista Clínico avalia cada paciente, desde seus dados pessoais e histórico familiar de doenças, até seus hábitos alimentares habituais, incluindo aversões e preferências alimentares, e dados antropométricos (peso, altura, medidas). Essas informações são necessárias para cálculo e montagem do cardápio, onde o Nutricionista, de forma saudável e saborosa, procura favorecer a melhora os hábitos alimentares do paciente de acordo com suas particularidades.

É importante ressaltar que, os cardápios calculados por esse profissional da saúde, atende todas as necessidades do ser humano em relação aos nutrientes necessários para uma alimentação saudável, fazendo com que a perda de peso, ou qualquer que seja o objetivo com o tratamento, seja alcançada em um ritmo normal e aconselhável para a manutenção da saúde e do bem-estar.

Fernanda Tonelli

 

 Por Fernanda Tonelli, Nutricionista Clínica e Escolar, Pós-graduada em Obesidade e Emagrecimento.

Fernanda atende em Joinville desde 2012 e é parceira do Programa Pense Magro.

Emagrecer sim, mas sem ameaçar a saúde

mulher_balança_maçãverdeEmagrecer – para alguns, um processo em prol da saúde, para outros, um investimento em prol da estética. E ainda há os que aliam esses dois motivos básicos. E não há problema algum nisso. Mas, emagrecer colocando em risco a saúde… ah, isso sim é problema.

Tenho trabalhado bastante, nos textos aqui do blog, alertas que considero importantes para quem faz dieta para emagrecer. Isso, porque muita informação é disponibilizada diariamente para pessoas que desejam emagrecer, mas nem todas elas são viáveis quando pensamos na promoção e manutenção da saúde.

Hoje, o portal R7 publicou uma matéria sobre uma alga – a Bladderwrack – que está sendo usada por duas mulheres famosas  – Victoria Beckham e Britney Spears. Acontece que esse alimento emagrecedor tem uma alta taxa de iodo, que é agressiva ao organismo. Mesmo assim, as famosas usam, e não tenho dúvidas de que algumas fans já devem estar à procura do produto também.

Somos a favor do emagrecimento saudável, e eu vou repetir isso aqui quantas vezes for necessário. Cintura fina nenhuma compensa os prejuízos gerados para a saúde do corpo e da mente (isso mesmo, porque se o corpo não vai bem, não espere que a mente esteja em melhores condições) quando se opta por estratégias de emagrecimento não saudáveis.

Quero incentivá-lo, todos os dias, através de nossas postagens, a engajar-se em seu objetivo de emagrecer, e a fazer por onde obter os resultados esperados, mas tudo isso com muita saúde!! Combinados?