Exercite o cérebro para emagrecer

Fonte: UOL

Fonte: UOL

Para quem achava que para emagrecer basta exercitar-se do pescoço para baixo, um novo conceito – neurofitness.

Em entrevista concedida ao UOL o Dr João Pinheiro afirmou que “o indivíduo que está acima do peso usa a comida para driblar frustrações, angústias, estresse. E, nesses casos, muitas vezes é preciso fazer algo a mais. Alguns exercícios mentais ajudam a ultrapassar as barreiras para a perda de peso.”

Essa modalidade de exercícios consiste em movimentos simples que estimulam o cérebro, disparando comandos para as áreas neuronal e muscular. É indicada para todas as idades. O objetivo é revigorar a habilidade cerebral e aumentar a capacidade de alcançar objetivos.

De acordo com o neurologista Leandro Teles, a expressão neurofitness é aplicada a exercícios cuja finalidade é aperfeiçoar a capacidade intelectual (para essa finalidade existem estudos que comprovam a eficiência), e aos exercícios com finalidade de redução de medida e perda de peso (para essa finalidade a aplicação é mais novas, e ainda estão sendo realizados estudos).

Para conhecer alguns dos exercícios, clique aqui.

Nota (Pense Magro): Enquanto os estudos analisam a eficácia de exercícios para o cérebro, continuamos a trabalhar com o método eficaz de exercício para a modificação de pensamentos, atitudes e comportamentos, que é a proposta do Pense Magro, e que já tem sua eficácia comprovada. Sem dúvida, o aperfeiçoamento do Neurofitness será um auxílio a mais para a perda de peso de forma eficiente e permanente.

Antes de emagrecer, cuide de sua saúde mental

Sarah Houston

Foto: The Times

Emagrecer é o sonho de muita gente, mas esse sonho não pode ser alcançado a todo custo.  É preciso esforço, força de vontade, organização, abstinência… mas tudo feito da forma correta.

Uma jovem britânica, de 23 anos, morreu por tomar agrotóxico vendido como pílula para emagrecer. Ao tentar explicar a atitude da filha, a mãe de Sarah contou que ela tinha um problema de autoestima, se achava acima do peso e estava se recuperando, também, de uma bulimia. (para ler mais, clique aqui)

Problema com a autoestima, insatisfação com a autoimagem, isso é realmente comum entre pessoas que desejam emagrecer.  Muita gente nutri a ideia de que esses problemas emocionais só podem ser resolvidos emagrecendo. É verdade que perder peso ajudará em alguns aspectos sim, mas, é possível perder peso e continuar infeliz consigo e com sua imagem.  Além disso, pessoas com uma autoestima sadia, e uma autoimagem realista, costumam cuidar melhor de si mesmas do que aquelas que se vêem de forma ruim. Não estou falando de se conformar. Não é isso. Para haver mudança é preciso estar insatisfeito, mas é preciso se amar, para que a mudança ocorra de forma satisfatória, do contrário, métodos altamente prejudiciais poderão ser utilizados.

Para haver a transformação no corpo é preciso haver uma transformação na mente. Do contrário, a mudança ocorrerá apenas em parte, e a longo prazo o problema continuará gerando prejuízos.

Seja através de dieta, seja por reeducação alimentar ou intervenção cirúrgica, o ideal é que o emagrecimento seja acompanhado de uma atenção especial à saúde mental.

Emagrecer com facilidade – só para os outros!

emagrecer

Foto: twitter

Emagrecer com facilidade! Eis o sonhos de muita gente. Afinal de contas, a luta contra os grandes números na balança é um tanto quanto cansativa para boa parte dos que entram nessa empreitada.

E em meio aos esforços para emagrecer, é muito fácil pensar que a vida de quem é magro é fácil demais. Emagrecer com facilidade pode ser, aos nossos olhos, a condição dos outros. Mas, na verdade, não é bem assim. Por trás dos muitos corpos magros com os quais nos deparamos ao longo do dia existe não apenas uma boa genética, mas uma alimentação regrada, atividade física, cuidados básicos com a saúde… porque ser magro e saudável não é para qualquer um não! Não pense que sua amiga que come horrores e permanece magra é saudável. Ela pode estar de bem com a balança, mas o tempo revelará os produtos do excesso de comida ingerida.

Essa semana, no site do R7 foi publicada uma matéria sobre Luciana Gimenez e seu corpo magro. “Eu como pouco, passo vontade. Se vai todo mundo tomar sorvete, eu não tomo ou só pego um pedacinho de alguém. Não dá para comer tudo.”, declarou, Luciana Gimenez.

Não quero discutir se ela está magra demais, se está fora do IMC ideal, porque entendo que essa é uma questão muito particular, que deve ser discutida entre a pessoa e o profissional que lhe acompanha. O fato é que por trás do corpo esbelto que aparece na TV e nas revistas, existem atitudes. E é em atitudes que devemos investir. Atitudes são ações mentais. Por isso ser tão importante trabalhar nossos pensamentos e percepções quando almejamos perder peso ou mudar hábitos alimentares.

A magreza dos outros pode ser algo muito fácil para mim e para você, mas, na realidade, cada um sabe de suas próprias lutas contra a balança! Sendo assim, cada um precisa de atitudes coerentes com seus objetivos se deseja alcançá-los.

Grupos alimentares

grupos alimentaresHoje vamos esclarecer dúvidas sobre os alguns Grupos Alimentares.

Carboidratos: são os componentes dos alimentos, cuja principal função é fornecer energia para as células do corpo. Esse macronutriente deve estar presente em todas as refeições do dia, inclusive nos lanches, pois nas quantidades adequadas o carboidrato só contribui positivamente com o nosso organismo. A carência no consumo deste pode deixar o corpo sem energia, causando fraqueza e hipoglicemia. Quando em excesso, pode acarretar em aumento de peso.
Alimentos: arroz, batatas, massas, pães, frutas.

Proteínas: são os componentes dos alimentos necessários para a construção e manutenção de nossos órgãos, tecidos e células. Portanto, seu consumo diário, em quantidades ideais, é fundamental para o bom funcionamento do organismo. Lembrando que esse tipo de macronutriente em excesso pode sobrecarregar os órgãos internos, prejudicando a saúde.
Alimentos: carnes, leites e derivados, chia, linhaça dourada, soja.

Gorduras: as gorduras são nossas principais fontes de energia e ajudam na absorção das vitaminas A, D, E e K. As gorduras saturadas estão presente em alimentos de origem animal, como carne, toucinho, pele de frango, queijo, leite integral, manteiga, requeijão e iogurte – consumo deve ser moderado para prevenção de doenças cardiovasculares. Já a gordura trans é encontrada largamente em alimentos industrializados, que usam gorduras vegetais hidrogenadas na preparação, nosso organismo não tem necessidade desse tipo de gordura. A gordura poliinsaturada tem a característica de diminuir o colesterol e pode sem encontrada nos peixes de água fria, azeite de oliva, óleo de canola, girassol e soja, nozes, semente de abóbora. A gordura moinsaturada aumenta o “colesterol bom” (HDL) e diminui o “ruim” (LDL), e pode ser encontrada no azeite de olive, no abacate, amendoim, nozes, óleo de canola, amêndoas, castanha do Pará.

Fibras: a ingestão de fibras proporciona maior saciedade em relação aos alimentos em que ela não está presente, ajuda e regula o funcionamento do intestino, colabora para o controle da glicemia em diabéticos e do colesterol. É importante lembrar que o consumo das fibras deve estar associado à ingestão diária de no mínimo 2 litros de água, caso contrario, a fibra pode atrasar o transito intestinal devido ao ressecamento das fezes.
Alimentos: frutas, verduras, hortaliças, feijões, alimentos integrais. 

Sódio: mais conhecido como o sal de cozinha, o alto consumo deste, pode causar danos à saúde, elevando a pressão arterial, causando doenças cardiovasculares e renais. 
Alimentos: sal de cozinha, alimentos industrializados, temperos prontos (knnor, 
sazon, meu segredo…), refrigerantes.

Por Fernanda Tonelli, Nutricionista, parceira do Programa Pense Magro.

Força de vontade e disciplina para emagrecer

Foto: Terra

Foto: Terra

É muito comum ouvirmos dizer que é preciso força de vontade e disciplina para emagrecer. Você concorda com isso?

Esses dois ingredientes fazem parte da receita de emagrecimento saudável da maior parte das pessoas que obtém sucesso em emagrecer. Eles foram os ingredientes da receita do sucesso de Marisa Dias, uma jovem que eliminou 20 Kg sem intervenção cirúrgica. A jovem contou ao site Terra que após se conscientizar da necessidade de emagrecer, começou a fazer reeducação alimentar, cortar fritura, doce, refrigerante e passou a fazer academia.

Observe que primeiramente foi preciso trabalhar a força de vontade. Marisa não fazia mudanças porque sequer achava necessário. Então, tomando consciência real de suas necessidades, ela sentiu o desejo de emagrecer, e os motivos que encontrou para isso deram força à sua vontade.

Em seguida, veio a disciplina. Só depois de ter um objetivo é que Marisa iniciou suas mudanças e de forma disciplinada aplicou as modificações em seus hábitos. Marisa é um dos vários exemplos de sucesso de pessoas que conquistam a perda de peso sem intervenção cirúrgica, modificando hábitos que ficam para toda a vida.

Quem tem problema com a balança e costuma estar acima do peso precisa realmente destes dois ingredientes se deseja efetuar mudanças em seus hábitos alimentares e estilo de vida. Contudo, força de vontade e disciplina também são habilidades a serem desenvolvidas, assim como as habilidades no que diz respeito à alimentação. É possível que você já tenha feito muitas tentativas sem sucesso, e tenha concluído que não possui disciplina ou força de vontade suficientes para alcançar sua meta de perda de peso. É possível também que pensamentos de incapacidade passem por sua mente, e lhe convençam de que é possível para os outros mas não para você.

Eu quero lhe dizer que um pensamento magro bem desenvolvido lhe garante força de vontade e disciplina. Se você não consegue desenvolver essas habilidades sozinho, procure ajuda profissional. Você pode sim, pois a mudança é possível!

40% das brasileiras estão sempre tentando emagrecer

mulher_balançaEmagrecer. Será este um dos sonhos de toda mulher?

Dizem por aí que toda mulher quer perder 2kg. “Toda” eu creio que é exagero. Mas, de acordo com dados do IBOPE, há uma quantidade boa de mulheres querendo emagrecer, sim. 40% das mulheres brasileiras entrevistadas responderam que estão sempre tentando perder peso, enquanto entre os homens o percentual foi de 29%.

De acordo com a pesquisa, apesar de ambos concordarem com a importância de se manter em forma, as mulheres se preocupam mais em ter uma dieta balanceada, enquanto os homens se dedicam mais às atividades físicas do que elas.

Mas, por que um número tão grande de mulheres vive na luta contra a balança? É verdade que existem fatores biológicos que contribuem para esse sobrepeso feminino. Mas, talvez, tenhamos mais desvantagens comportamentais também. Não posso afirmar isso como um dado oficial de pesquisa, mas em minha atuação profissional, percebo que somos mais propensas a utilizar a alimentação emocional (comer impulsionada por emoções como ansiedade, tristeza, tédio…) do que os homens, por exemplo.

É verdade que a sociedade nos faz mais cobranças em relação à forma física e, emagrecer, muitas vezes, se torna um dever. Somos o tempo inteiro bombardeadas pela ideia de que o belo e o magro são sinônimos, e até quem alcançou o peso ideal continua querendo perder 2kg. Mas, o aumento do índice de obesidade em nosso país nos faz um alerta – fazer as pazes com a balança não se resume a uma questão estética. Tem a ver com saúde e qualidade de vida. E nós que nos últimos anos já conquistamos tantos direitos, não podemos perder de vista que saúde e qualidade de vida não são apenas direitos, mas necessidades.

Emagrecimento: quem está no controle?

obesidadeNa busca pelo emagrecimento, as pessoas se deparam com a necessidade de modificar hábitos. Um estilo de vida mais saudável torna-se o desafio de quem deseja fazer as pazes com a balança. São vários anos de maus hábitos cultivados, maus hábitos que podem resultar em uma certa perda no controle do comportamento alimentar.

Isso é o que cientistas verificaram em um estudo divulgado pela Super Interessante em 2011.

“Todo mundo conhece os riscos trazidos pela obesidade – diabetes, doenças cardiovasculares, menor expectativa de vida. Mas uma nova descoberta está surpreendendo a comunidade científica: a gordura também causa danos ao cérebro. Pesquisadores da Universidade de Nova York estudaram o cérebro de 63 pessoas – 44 delas tinham sobrepeso ou obesidade e as demais eram magras. A experiência constatou que, nos indivíduos obesos ou acima do peso, o cérebro apresentava duas alterações importantes: tinha níveis mais altos de fibrinogênio, uma proteína que causa inflamação, e menor córtex orbitofrontal – região cerebral que coordena a tomada de decisões. Os cientistas ainda não sabem explicar exatamente como esse processo se desenrola. Mas apostam no seguinte: obesidade gera fibrinogênio, que gera inflamação, que gera danos ao córtex. E tudo isso gera consequências permanentes – e terríveis. “Essa inflamação, ao afetar a integridade do córtex orbitofrontal, pode reduzir o controle da pessoa sobre seus hábitos alimentares”, afirma o estudo, coordenado pelo psiquiatra Antonio Convit. Ou seja: indivíduos acima do peso poderiam se tornar neurologicamente incapazes de comer menos. Escravos do próprio apetite.” Fonte: Super Interessante.

Essa notícia não precisa ser desanimadora. Não é para você pensar: “então não tem mais jeito, não adianta fazer mais nada“. Informações como essa devem nos motivar a mudar imediatamente a rota, se temos caminhado por um caminho que nos levará a resultados ruins.

No seu dia a dia, quem está no controle? É você que decide racionalmente o que fazer, ou são seus maus hábitos que “tomam decisões” por você e modificam seu corpo não apenas no peso mas também em sua estrutura e funcionamento cerebral?

Pense magro, desenvolva bons hábitos e assuma o controle de sua vida!

Ovo pode!

ovo de galinhaMuito já se falou sobre usar ou não usar o ovo na alimentação, se ele é benéfico ou se trás mais prejuízos que benefícios. Hoje, a Nutricionista Fernanda Tonelli, parceira do Programa Pense Magro, responde algumas perguntas sobre o assunto.

Pense Magro: Fernanda, por que o ovo se tornou um grande vilão há algum tempo ?
Fernanda: A presença de colesterol nesse alimento, já fez com que ele fosse o vilão das doenças cardiovasculares. Mas, como as pesquisas atuais comprovam, hoje sabemos que, além das causas da alteração do colesterol sanguíneo variar de acordo com cada organismo, mais de 70% do colesterol sanguíneo é produzido pelo fígado, portanto, a dieta contribui pouco – mas contribui – para o colesterol total encontrado no sangue.

Pense Magro: Você disse que a dieta contribui pouco, mas quando um médico verifica alterações negativas nas taxas de colesterol ele geralmente recomenda modificação alimentar. Por que? O colesterol produzido pelo fígado é influenciado indiretamente pela nossa alimentação?
Fernanda: Porque, quando em excesso, o colesterol pode também acumular-se nas paredes das artérias e contribuir para o desenvolvimento de doenças coronárias. E cuidando da alimentação você pode contribuir positivamente para que isso não aconteça. Dessa forma, podemos concluir sim, que o colesterol produzido pelo fígado é influenciado indiretamente pela nossa alimentação, já que quando em excesso, ambos trazem prejuízos à saúde e podem ser tratados com os alimentos.

Pense Magro: Que nutrientes bons para o organismo podemos obter ao utilizar o ovo na alimentação?
Fernanda: O ovo contém: proteínas de alto valor biológico, dentre eles o triptofano, que é precursor da serotonina – responsável pela sensação do prazer e bem-estar; ômega 3, ácido graxo com ação anti-inflamatória; colina, do complexo B, preserva neurônios, melhora a memória, capacidade de aprendizado e humor.

Pense Magro: Qual a recomendação de consumo diário ou semanal do ovo na alimentação?
Fernanda: O ovo pode ser consumido diariamente (em média, uma unidade por pessoa), por aqueles completamente saudáveis e sem qualquer tipo de restrição alimentar.

Pense Magro: E se eu tenho alguma restrição alimentar, e não posso usar o ovo, ou sou vegetariana restrita ou vegan, e optei por não utilizá-lo, como posso obter esses mesmos nutrientes em outros alimentos?
Fernanda: Vamos por partes, o triptofano pode ser encontrado em castanhas, soja, feijão, legumes, mel; a colina pode ser encontrada em levedura de cerveja, soja, aveia, vegetais verdes; e a espinafre, o brócolis, a alga marinha, o azeite de oliva, nozes, linhaça, são exemplos de alimentos fonte de ômega 3.

Pense Magro: Fernanda, você poderia deixar para nós alguma dica sobre como consumir o ovo de forma mais saudável?
Fernanda: o ovo cozido é o mais indicado para consumo, mas, hoje em dia, com as panelas não aderentes, não é necessário acrescentar óleo para o preparo do ovo mexido ou do estalado. Portanto, desde que o consumo seja feito sem óleo, tanto faz a forma de preparo.
Acho interessante o omelete colorido, principalmente como uma opção saudável e completa para o jantar.

receita omelete colorido fernanda

Emagrecimento rápido em Spa radical: algumas considerações

boca fechadaEu confesso! Minha primeira reação ao iniciar a leitura da matéria foi exclamar “Que isso!?” num tom de “Que absurdo!!!”. É bem verdade que lido com relatos que podem ser considerados por muita gente como “estranhos” e “absurdos”, constantemente, em função da minha profissão, e já me adaptei a não me surpreender com tudo. Mas, hoje me flagrei surpreendida ao iniciar a leitura da matéria intitulada “Repórter passa uma semana em spa radical e emagrece 4,5 quilos“, publicada hoje no site da Folha de São Paulo. De fato, emagrecimento rápido é algo que considero ser bem delicado.

Li a matéria toda, reconsiderei minha exclamação, e faço aqui algumas considerações, já sugerindo, é claro, que você leia toda a matéria e tire suas próprias conclusões.

Vamos lá:

1) Spa radical só com acompanhamento de uma equipe muito boa de profissionais da saúde. Até o presente momento, esta é a minha visão. Nunca se deve fazer isso por conta própria!

2) Tomar um choque pode ser realmente interessante. Passar alguns poucos dias em uma situação como a da repórter pode  ser bem interessante para quem precisa descobrir algumas coisas sobre si, seu corpo e sua capacidade (mental e física) de perder peso. Grandes lições, como a tolerância à fome podem ser aprendidos assim, em experiências chocantes, radicais, e que de fato mexem com a pessoa profundamente. Eu defendo o aprendizado pela experimentação. Contudo, mais uma vez, friso que medidas assim, ainda de poucos dias, requerem acompanhamento profissional especializado.

3) Medidas radicais a longo prazo são para casos extremos, como é o caso de internos que estão há semanas e até meses sobrevivendo com uma dieta de 600 (ou menos) calorias diárias) no Spa da matéria.

4) Regras inflexíveis são bastante úteis para quem precisa realizar uma grande mudança. Quando estamos no processo de aquisição de alguns hábitos e desconstrução de outros, precisamos cuidar com as exceções. Elas comumente se tornam grandes inimigas de nossos objetivos, e facilmente nos convencem de que não temos determinação, disciplina, ou capacidade de autocontrole para chegarmos onde desejamos.

5) Consumir o que é proibido é, realmente, mais prazeroso. Há, verdadeiramente, uma relação entre comida proibida e prazer. Acontece que somos seres racionais e podemos usar essa informação a nosso favor. Podemos voluntariamente escolher o que é melhor ao invés de ceder a desejos e prazeres que resultarão em culpa e frustração. Uma coisa é pensar “eu não resisto a essa caixa de chocolates”, outra é dizer a si mesmo “eu resisto a essa caixa de chocolates sim, porque sei que ela só é tão atrativa agora porque não posso comer o que há dentro dela nesse momento”

6) É possível sobreviver comendo menos. Talvez essa seja uma das grandes lições de experimentar um Spa como esse. Descobrir que se é capaz de sobreviver sem precisar comer de tudo, a todo instante, sem limites e sem controle. Infelizmente, muitos vivem como reféns da comida e de seus maus hábitos, acumulando não apenas gordura, mas também uma infinidade de problemas de saúde, e uma concepção negativa de si. Duas crenças são essenciais para emagrecer ou mudar hábitos alimentares: 1. “A mudança é possível”; 2. “A mudança é possível para mim”.

7) A menos que uma nova mentalidade seja desenvolvida, todo o resultado dos dias difíceis passados no Spa será perdido rapidamente. Um corpo magro, com uma mente gorda é uma boa receita para voltar ao sobrepeso. Emagrecimento saudável inicia na mente. Mudanças permanentes começam com atitudes mentais.

“nenhuma dieta funciona”, diz Nicole Scherzinger

Fonte: Google+

Fonte: Google+

Hoje, o site Terra publicou uma matéria sobre a cantora Nicole Scherzinger e sua declaração sobre fazer dieta. Nicole já teve problemas com a bulimia, mas atualmente se alimenta bem e pratica exercícis físico.

“A ex-Pussycat Doll diz que seu café da manhã preferido são ovos beneditinos e não evita carboidratos. “Já fiz todo tipo de dieta e nenhuma funciona. Não é saudável”, contou à revista britânica OK!. “Seu corpo pede por carboidratos. Coma no café da manhã e no almoço, mas não no jantar. Seja consciente.”

Desde que tornou público seu problema com a bulimia, ela tem ajudado garotas que sofrem do mesmo transtorno. “Não faça refeições muito tarde. Se tiver 5 ou 6 horas sem comer antes de dormir, e dormir por mais 8 horas, seu metabolismo vai zerar”, aconselha.

Além de se alimentar melhor, a cantora vai à academia e faz aula de spinning.” Fonte: Terra

É bem verdade que algumas dietas funcionam, para algumas pessoas. Mas, também é verdade que muita gente que já fez dieta não conseguiu manter o peso desejado, ou até mesmo, teve problemas em se manter na própria dieta.

Alimentação balanceada, a prática de exercício físico, e um estilo de vida saudável são essenciais para quem deseja emagrecer e ter saúde. Por isso, aconselhamos a reeducação alimentar monitorada por um profissional nutricionista, assim como atividade física adequada às condições físicas de cada um, e o desenvolvimento de habilidades mentais e comportamentais para lidar bem com o stress, a ansiedade e os problemas do dia a dia sem deixar que isso afete seu apetite e seu corpo.